Blog

A História de Soichiro Honda

A História do fundador da Honda
Uma história que serve como uma grande lição de vida. E se você conseguir implantar a persistência e o não comodismo de Soichiro Honda em sua vida, com certeza, desde já mostrará que é um grande vencedor.

Soichiro Honda ao 30 anos, quando decidiu fabricar peças ao invés de consertá-las.

Nascido em 17 de novembro de 1906, na aldeia de Komyo, na cidade de Hamamatsu no Japão, Soichiro Honda era o filho mais velho de um ferreiro. Era uma criança curiosa, que desde muito cedo ficava observando os motores, encantado com seus barulhos, cheiros e segredos. Nunca foi um bom aluno, pois não se interessava pelas teorias dos livros, preferindo a prática das coisas. Aos 8 anos, já havia construído uma bicicleta e, aos 13 já tinha uma série de pequenas invenções. Aos 16 anos, Honda vai para Tókio como aprendiz numa oficina mecânica , e poucos anos mais tarde, volta para Hamamatsu e abre a sua própria oficina.

Honda trabalhava dia e noite, inclusive dormindo na própria oficina. Para poder continuar nos negócios, empenha as joias da própria esposa. Quando apresentou o resultado final de seu trabalho a uma grande empresa, o seu produto foi rejeitado por não atender ao padrão de qualidade exigido. Apesar de abalado, Honda se manteve focado em seus empreendimentos.

Aos 25 anos, sua oficina já havia crescido e se tornado muito lucrativa. Então construiu um barco de corrida, e um carro muito potente, com motor de avião American Curtiss Wright. Já com 30 anos, decide fabricar peças ao invés de consertá-las, e começa a fabricar anéis para pistões. Mas fabricar não era tão fácil como pensava, e apesar da estrutura ( 50 funcionários e sede própria), Honda passou por um período muito difícil. Seus recursos quase acabaram. Mas ele não desistiu. Ele decide estudar mais os metais e entra no Instituto de Tecnologia de Hamamatsu. Como nunca foi estudioso, só assistia as aulas que lhe interessava. Quando o reitor foi explicar que não poderia receber o diploma, Honda lhe diz: “Diploma? Isso vale menos que um ingresso de cinema. O ingresso lhe garante a entrada no cinema, pois você pagou, e o diploma não garante que se possa ganhar a vida com ele.” Na visão de Honda, as pessoas deveriam ser promovidas pelo trabalho e competência, independente do grau de instrução.

Durante a guerra, sua fábrica é bombardeada duas vezes, sendo que grande parte dela é destruída. E como não bastasse, em janeiro de 1945, um terremoto acaba de destruir ao que restara dos bombardeios. Mas ele ainda não desiste. Reconstrói a empresa imediatamente após a guerra. Porém, outra dificuldade aparece em seu caminho: uma grande escassez de gasolina em todo o país. Honda mal podia sair de automóvel nem para comprar comida. Com futuro incerto, Honda vende sua fábrica para a Toyota ,que era cliente de seus anéis.

Mas a crise é a melhor bênção que pode ocorrer com as pessoas e países, porque a crise traz progressos. A criatividade nasce da angústia, como o dia nasce da noite escura. Com o racionamento de combustível e trens lotados, Honda pensa pela primeira vez nas motocicletas. Criativo, ele adapta um pequeno motor a sua bicicleta e sai às ruas. Os vizinhos ficam maravilhados e todos querem também as chamadas “bicicletas motorizadas“. A demanda por motores aumenta muito e logo ele fica sem mercadoria.

Comprou então um lote de motores usados para geradores, e com sua capacidade criativa, os adaptou em bicicletas, e logo estava vendendo os primeiros ciclomotores. Decide então montar uma fábrica para essa novíssima invenção. Como não tem capital, resolve pedir ajuda para mais de quinze mil lojas espalhadas pelo país. Como a ideia é boa, consegue apoio de mais ou menos cinco mil lojas, que lhe adiantam o capital necessário para a indústria. Mas Honda queria algo mais, e após vários protótipos, em 1949 nasce a primeira motocicleta Honda, com 98 cc, 3 cavalos , que seria chamada muito apropriadamente de “Dream” (sonho).

Soichiro Honda não só fundou a maior empresa de motocicletas, mas principalmente popularizou o motociclismo e introduziu um alto nível de tecnologia e confiabilidade em veículos de duas rodas. Hoje a Honda Motor Company é um dos maiores impérios da indústria automobilística japonesa, conhecida e respeitada no mundo inteiro. Tudo porque o Sr. Soichiro Honda, seu fundador, não se deixou abater pelos terríveis obstáculos que encontrou pela frente. Honda faleceu em 5 de agosto de 1991,aos 84 anos de insuficiência hepática. Mas sua história e obras serão eternas. No final de 1999, Soichiro é eleito por jornalistas do mundo inteiro, o “Motociclista do Século”.

Quantas vezes você se sentiu fracassado? Quantas vezes você sentiu vontade de jogar tudo pro alto, de desistir de tudo? Com certeza, Soichiro Honda, desconhecia a palavra fracasso, e a persistência foi a chave do seu sucesso. Apesar de todas as adversidades que encontrou em seu caminho, ele se tornou dono de um grande império, uma das maiores fábricas de autos. Soichiro Honda é com certeza, grande exemplo de superação. Aliás, muitas das grandes empresas japonesas, nasceram em galpões em um fundo de quintal.Muitas empresas como a Honda, viram suas empresas serem destruídas por causa da guerra, incêndios e desastres naturais de todo tipo. Mas mesmo assim, passaram por cima das dificuldades e foram vitoriosos, construindo uma trajetória de sucesso.
Uma história que serve como uma grande lição de vida. E se você conseguir implantar a persistência e o não comodismo de Soichiro Honda em sua vida, com certeza, desde já mostrará que é um grande vencedor.

“Eu vivo no presente, para construir o futuro, com a experiência do passado”.
– Soichiro Honda

Um comentário para “A História de Soichiro Honda”

Anúncios

O poder dos sonhos!

“O Sucesso só pode ser alcançado com uma espécie de espírito pioneiro e o uso repetido das três ferramentas: fracasso, introspecção e coragem.” Soichiro Honda

Essa incrível animação conta um pouco da adolescência de Soichiro Honda, criador da marca que leva seu sobrenome e mostra o quanto é importante seguirmos nossa criatividade, nossas inspirações e acima de tudo nossos sonhos.

Preste atenção atenção à trilha sonora e “Acredite em seus sonhos!!!”

8 coisas que as pessoas felizes fazem, mas não comentam…

A maioria das pessoas gosta de pensar que é feliz, mas no fundo elas podem não necessariamente acreditar ou se sentirem realmente felizes. Quando você olha ao redor e vê pessoas com quem cresceu tirando o máximo proveito da vida enquanto você continua indo para um trabalho que você não gosta e repetindo a mesma rotina dia após dia, é fácil se sentir menos grato pela a vida que tem. Então, quais são os segredos das pessoas felizes? O que elas fazem de diferente para tirar o máximo proveito da vida enquanto o resto de nós apenas observa?

1. Elas dão

Focar apenas no dinheiro é a maneira mais certa de ser infeliz. De fato, em estudos sobre a felicidade, os pesquisadores descobriram que uma vez que você tem dinheiro suficiente para satisfazer suas necessidades básicas, existem apenas duas outras maneiras que o dinheiro pode ajudá-lo. Uma delas é melhorando a sua posição social e o outra é para doar. Ao usar o seu dinheiro para ajudar aos outros, em vez de desnecessariamente amontoá-lo, as pessoas felizes se sentem como se elas estivessem fazendo uma contribuição positiva para o mundo.

2. Elas evitam o drama

Pessoas felizes tendem também a cuidar de suas próprias vidas. Enquanto outras pessoas apegam-se à provocações e fofocas, as pessoas felizes optar por concentrar-se em suas próprias coisas. Elas prestam maior atenção em si mesmas e deixam que outras pessoas vivam e digam o que quiserem.  Com certeza essa  é uma maneira simples para maximizar a felicidade.

3. Elas são gratas

Elas não passam o tempo todo querendo o que as outras pessoas possuem ou sonhando com uma vida melhor. Em vez disso, elas reservam alguns momentos de cada dia para pensar sobre todas as coisas que elas apreciam e fazem questão de serem gratas por elas.

4. Elas olham para o lado positivo

Quando as coisas ficam difíceis, os verdadeiramente felizes são muitas vezes inabaláveis. Fixar-se em falhas e imaginar o pior cenário pode ser a opção padrão para a maioria das pessoas, mas se você realmente quiser ser feliz, você precisa ter fé que as coisas vão dar certo. Mantenha a sua perspectiva e saiba que, não importa o que aconteça, você pode voltar  atrás , recomeçar ou tentar coisas novas.

5. Elas valorizam os relacionamentos

Em vez de se concentrar apenas no dinheiro e buscar implacavelmente a progressão na carreira, trabalhando longas horas, as pessoas mais felizes concentram mais do seu tempo em relacionamentos pessoais. No final de sua vida, você não vai se lembrar muito do tempo que você gastou no trabalho. Em vez disso, você vai valorizar as refeições em família e tempo compartilhado com os amigos. Colocar as pessoas antes que o dinheiro é uma ferramenta poderosa para alcançar a felicidade.

6. Elas cultivam muitas partes diferentes de suas vidas

As pessoas felizes não se definem por um aspecto de suas vidas. Elas mantêm carreiras que elas gostam, elas têm passatempos, e elas adoram aprender e crescer como indivíduos. Ao prestar atenção a vários aspectos de suas vidas, as pessoas felizes não ficar sobrecarregadas quando um elemento da sua vida diária sai fora dos trilhos. Se ela levar um fora, ela ainda têm uma carreira gratificante. Se ela se lesiona e não pode jogar seu esporte favorito por um tempo, ela ainda têm amigos para sair.  Não colocar todos os ovos na mesma cesta é uma chave para ser uma pessoa feliz.

7. Elas não se concentram em coisas materiais

Enquanto alguns de nós podem pensar que o shopping é uma ótima maneira de aliviar o stress e que ter coisas nos fará mais felizes, outros optam por experiências de valor. É uma delícia ter roupas novas, mas é difícil obter o máximo de prazer de uma camisola. O que você acha de um mergulho em um recife de corais?  Qual dessas histórias será mais significativa a longo prazo?

8. Elas seguem suas paixões

Finalmente, as pessoas felizes seguem suas paixões. Se elas acordarem e perceberem que estão insatisfeitas com seus trabalhos, elas não têm medo de deixá-los para perseguir algo que elas realmente se importam. Elas assumem o risco e podem até fracassar, mas as pessoas felizes não têm medo de colocar seu pescoço para fora e perseguir o que todo mundo está com medo. Por isso são felizes. 8 coisas que as pessoas felizes fazem, mas não comentam

Sobre a Solidão / Dores do Amor Romântico

Não estou mais aguentando. A ansiedade, não mais aquela por bombons, poderá me estourar as veias. É o pior momento esse, meio excitado meio cansado, quando espero que campainhas toquem anunciando mudanças. E elas tocam. Mas é somente um rapaz que me diz de uma encomenda, um engano, ou uma ligação familiar. Nada de mudanças! As mudanças, minha cara, só nas cores de cabelo e nas roupas (…)

MENSAGEM BALZAQUIANA

10354819_853979704622536_110841698543042633_n

Ah! Meus 30…

Não vou me referir a esse ciclo como mais uma demanda de responsabilidades!
Fica pesado, fica obrigatório…fica rude com os novos tempos a serem vividos.
Sentir os 30 vai de uma simbologia à reafirmação de uma vida, que precisa ser comemorada todos os dias. Porque apesar de parecer clichê, é isso mesmo: mais um ano…VIVA!!! E Balzaquiana! “Menina-Mulher”, agora mais Mulher do que Menina! kkkkk ui.

Não são rugas de uma pele desgastada que vão desmerecer essa existência. Eu não me sinto velha no sentido pejorativo! E nem ligo para as novas marcas que surgem…As linhas do meu rosto tornam-se mais fortes porque transparecem a fonte desta fortaleza, que está dentro de mim! É…Hoje me sinto assim! Mais velha e mais jovem…com paciência e ânimo que se misturam, com a tranquilidade e a determinação que sustentam, e com muito amor e paixão que nutrem minha evolução.

Permite reconhecer os erros como degrau de maturidade, afinal a gente escorrega mesmo na “casca da banana”, “enfia o pé na jaca”, “Topa com uma pedra no caminho”… e cai…e se levanta…
Ficar no chão é confessar derrota, e isto com certeza não faz parte das minhas decisões. Não é uma opção!
Permite reconhecer os acertos não só como vitória, mas como um entendimento que o merecimento de todas as conquistas até aqui, está equivalente ao grau humildade, e a simplicidade de reconhecer que o natural da vida é fazer uma boa plantação!
Quem quer colher flores bonitas, escolhe as sementes saudáveis. Só precisa saber procurá-las, ter segurança do que se quer e começar a semear.
Permite reconhecer que TODOS a sua volta fazem parte desse crescimento, não se vive sozinho em um jardim. A sabedoria é se deixar aberto ao aprendizado, quem entra na sua trajetória, mesmo os estranhos, estarão oferecendo essa oportunidade de participar da fertilização da terra. E o que não for produtivo será deixado para traz, sem culpa.

Sou apenas grata, pois nesse imenso terreno consigo colher muitos frutos maravilhosos, como essas mensagens que recebi de todos vocês FAMILIARES, AMIGOS, CONHECIDOS (e-mails, telefonemas, calor humano e presencial rsrs do Sul ao Norte)… E consigo também visualizar sementes brotando, plantinhas crescendo, com um colorido lindo! Frutos com sabor único que venho experimentando e reconhecendo o quão fazem bem a minha SAÚDE.
Fico emocionada com cada palavra escrita e dita, com cada abraço forte, beijos carinhosos…com cada sorriso e olhar brilhante de transmitir esse QUERER O BEM, ESSE DESEJAR O BEM, ESSE TORCER PELO BEM, ESSE ACREDITAR NO MEU BEM…

Virei Balzaquiana…:-)

_DSC3630

Hoje já é quinta-feira
E eu já tenho quase 30
Acabou à brincadeira
E aumentou em mim a pressa
De ser tudo que eu queria e ter
Mais tempo pra me exercer

Hoje já é quinta-feira
E há pouco eu tinha quase 20
Tantos planos eu fazia
E eu achava que em 10 anos
Viveria uma vida
E não me faltaria tanto pra ver

Tenho sonhos adolescentes
Mas às costas doem
Sou jovem pra ser velha
E velha pra ser jovem.